ÀREA DO ALUNO
Usuário:  
Senha:  
   
 
Espalhe por aí                  Visualizações: 2946


Como o gosto pela leitura pode ser estimulado na educação infantil

A leitura em voz alta e a contação de histórias são práticas que devem estar presentes na escola
créditos: Débora Rubin e Cláudia Jordão
Em um contexto de pouca valorização da leitura, como a escola pode contribuir para a formação de leitores no Brasil? Como superar seus desafios e formar leitores autônomos que gostem de ler? Ensinar algo tão grandioso é uma tarefa desafiadora, mas, talvez por isso mesmo, uma das mais fantásticas que existem.
O estímulo à leitura pode começar desde cedo, ainda na educação infantil. Veja abaixo o cenário da formação de leitores na primeira infância, seus desafios e exemplos de práticas.
 
 
Cenário
A Academia Americana de Pediatria recomenda aos médicos que orientem os pais a lerem para os seus filhos. Desde o nascimento, a superestimulação tem se tornado uma constante em casa e invadido o espaço escolar. Livros no banho e e-books são elementos cuja proposta é desencadear o gosto pela leitura logo cedo. O equilíbrio entre inseri-los na cultura letrada e "forçar" funções para as quais ainda não estão preparados, defendem os especialistas, depende de bom senso.
 
Desafio
Como mediadores, pais e educadores têm a missão de apresentar os livros, as histórias e o mundo da imaginação a seus filhos e alunos. A falta de materiais de trabalho nas escolas é um problema a ser enfrentado. Pesquisa da pedagoga Cyntia Girotto revela que os livros do Programa Nacional Biblioteca da Escola (PNBE) não contemplam crianças dos 0 até os 3 anos. O estudo "Literatura e Primeira Infância: dois municípios em cena e o PNBE na formação de crianças leitoras" foi realizado de 2011 a 2014 em Presidente Prudente e Marília, interior paulista. "Negar o acesso desse material aos pequenos é negar a eles a possibilidade de forjarem para si, desde a tenra infância, uma identidade leitora", diz Cyntia, professora na Faculdade de Filosofia e Ciências da Unesp-Marília.
 
Exemplos de práticas

O primeiro passo é o professor ter um critério para a escolha dos títulos. Afinal, nessa fase pré-alfabetização eles têm especificidades e mudam conforme a idade. "O livro do bebê é especial: tem de ser cartonado, ou emborrachado, e o texto imagético deve se agregar ao texto escrito, o que aguça as percepções, atenção, linguagem oral e memória", explica Cyntia Girotto. A partir dos 3 anos, obras que se utilizam do lúdico e da fantasia despertam a imaginação. A leitura em voz alta e a contação de histórias são práticas que devem estar presentes na escola. Para as crianças maiores, vale investir em rodas de leitura e na elaboração de ilustrações ou dramatizações a partir de um texto. "Quando partilhada, a leitura se torna saborosa, se transforma em uma experiência formadora", defende Gilda Carvalho, mestre em Literatura Brasileira e uma das autoras do Manual de reflexões sobre boas práticas de leitura (Editora Unesp).
 
Fonte: Revista Educação (http://bit.ly/exitus17022016)

COMPARTILHE O LINK DA MATÉRIA









Educação

Colégio Exitus tem retorno de aulas 100% presencial

Como preparar as crianças para o retorno às aulas após o distanciamento social imposto pela pandemia

05/05/2021   23:49:53

Ler Matéria

Carnaval Colégio Exitus

"Ó Abre Alas que quero passar..."

04/03/2020   10:35:33

Ler Matéria



 
 

FACEBOOK

Cadastre seu e-mail e receba novidades!
 
Exitus Colégio e Cursos Rio Pomba
Avenida Dr. José Neves, 478 - Centro - Rio Pomba MG - Cep: 36.180.000
(32) 3571-1562
 
Copyright © 1998/2021 Todos os direitos reservados!